quinta-feira, julho 28, 2005

Porto, 28/7/05, 6 da manhã

Acordei com gritos de gaivotas em nuvens pretas e buracos de azul; voavam em círculos lunares. Quando acalmaram, um galo laranja empoleirou-se num telhado distante e um cão latiu entre as filas de casas. Apaguei o cigarro e pequenos pássaros detectives piaram entre a caruma do pinheiro. A madrugada na cidade pertence aos animais urbanos.

3 comentários:

Das Caldas disse...

Até pareces um poeta.
Viste o pinheiro manso de certeza.
Boa! Vê-se que estás feliz!

guevara disse...

Oh yeah! digo eu deste texto!

Animais urbanos...nada melhor para os descrever!

:)

JOSE MANUEL CARVALHO disse...

Por isso lhe chamam selva de pedra.