terça-feira, setembro 27, 2005

Canções 2

Ouvi pela primeira vez os Sex Pistols na defunta discoteca Tubitek na Praça D.João I. Não andava à procura de nada em especial quando lá entrei, era apenas um sítio onde tinha de ir sempre que passava na baixa, quanto muito para ver a montra dos discos importados. Naquele dia entrei e a capa, exposta na montra, logo me chamou atenção com aqueles recortes aparentemente colados à sorte. Pousei então a agulha no God Save The Queen e aos primeiros acordes levei um murro no estômago, muito semelhante, se transpusermos a sensação para a literatura, quando em casa do meu tio abri a Metamorfose e li: “Uma manhã, ao despertar de sonhos inquietantes, Gregor Samsa deu por si transformado num gigantesco insecto.” A música nada tinha a ver com as canções de protesto de Bob Dylan, nem com a metafísica dos Pink Floyd e muito menos com a melancolia e angústia da cena britânica dos Echo and the Bunnymen, Bauhaus ou Joy Division que eu tanto gostava. Aquilo era mais um manifesto, uma cuspidela para o ar, um chuto nos tomates, um não quero saber gritado a plenos pulmões. Estou a ouvir agora, depois de muitos anos o God Save The Queen e confesso que o “No Future For You”, gritado pelo Jonnhy Rotten continua a bater-me no estômago agora como na altura.
"God Save The Queen"
God save the queen/The fascist regime/They made you a moron/Potential H-bomb/God save the queen/She ain't no human being/There is no future/In England's dreaming/Don't be told what you want/Don't be told what you need/There's no future, no future,/No future for you/God save the queen/We mean it man/We love our queen/God saves/God save the queen'/Cause tourists are money/And our figurehead/Is not what she seems/Oh God save history/God save your mad parade/Oh Lord God have mercy/All crimes are paid/When there's no future/How can there be sin/We're the flowers in the dustbin/We're the poison in your human machine/We're the future, you're future/God save the queen/We mean it man/We love our queen/God saves/God save the queen/We mean it man/And there is no future/In England's dreaming/No future no future/No future for you/No future no future/No future for me/No future no future

2 comentários:

francisco carvalho disse...

Parece que os murros no estômago - para o mal e para o bem - ficam gravados no nosso ADN...

Rogue disse...

Sex pistols foram um marco, apesar de não os conhecer muito bem (Só algumas musicas). No mesmo estilo e registo ouvia mais Dead Kennedys.