sábado, setembro 03, 2005

O palácio (Work In Progress) 5

Depois do descanso voltei ao Work in Progress. Este é o primeiro rascunho para o terceiro parágrafo.
"Que posso eu dizer dos gémeos Alves da Alves & Alves L.da? Que são diferentes um do outro como água do vinho? Que um é gordo e o outro é magro, um forte outro fraco? Que o gordo empurra o fraco e o magro acolhe o forte? Posso começar por dizer que são gémeos bivitelinos daí não serem fisicamente semelhantes e dizer que são nascidos de um sofrido parto de dezasseis horas que tirou a vida a mãe e lhes roubou para sempre o amor do pai? Poderia também dizer que ambos à sua maneira têm o dom da multiplicação do dinheiro e tal Midas, o poder de transformarem em ouro tudo que tocam. Poderia em jeito de vingança pessoal, dizer que o ouro resvala para a merda como o milho para estrume? Não, não vou dizer nada disto porque este texto não é sobre mim, mas sobre o palácio e não posso falar do palácio sem falar dos gémeos Alves seus proprietários e da bicharada, nunca esquecendo o exterminador, porque é para contar o sucedido com o pobre homem, que ganhei forças para escrever este texto."

4 comentários:

Rogue disse...

Estou a gostar muito.... Parabens.

Nuno Vieira disse...

obrigado, isto é só uma brincadeira meio a sério, meio a brincar, assim sinto o stress do prazo e obrigo-me a escrevo...


:)

guevara disse...

Não, não vou dizer nada disto porque este texto não é sobre mim...

não percebi bem... ou falhei algo na história!

De resto... quem sou eu!

Nuno Vieira disse...

é só um rascunho Xe, mas claro que também é sobre mim (vê o de 6 setembro), está melhor?

:)