sexta-feira, novembro 25, 2005

Cenas

FILOMENA: João?
RUBEN: Sim?
FILOMENA: Tive um pesadelo.
RUBEN: Anda para aqui.
FILOMENA: Fico assustada quando acordo e tu não estás a meu lado.
...
FILOMENA: Ainda me amas?
RUBEN: Claro que sim. Estava a ver um documentário sobre os campos de concentração. Coisas horríveis.
FILOMENA: Não ganhes o hábito de adormecer aqui na sala, por favor.
...
FILOMENA: Eu adoro adormecer enrolada a ti, os meus fantasmas desaparecem quando sinto a tua respiração na escuridão do quarto. É como quando era criança e o meu pai adormecia perto de mim.
RUBEN: As câmaras de gás, os comboios cheios de pessoas a esticar a cabeça para conseguirem ar e as crianças, o que mais me horroriza são as crianças, esqueléticas.
FILOMENA: Como era bom quando o meu pai me lia livros. Tu também costumavas ler para mim. Dizias que eu era preguiçosa.
RUBEN: Queres te leia alguma coisa?
FILOMENA: Agora?
...
FILOMENA: Passeávamos junto ao mar. Eu andava pelas rochas a recolher búzios e examinar poças de água, tu caminhavas pela areia molhada. Mandava-te beijos por entre as rochas, tu sorrias. Vi uma onda enorme formar-se atrás de ti, tentei chamar, gritei mas continuavas a sorrir.
RUBEN: A onda levou-me?
FILOMENA: Sim, sim.
RUBEN: Foi só um sonho.
FILOMENA: Parecia real.

2 comentários:

Rogue disse...

Uma coisa não percebi, porque ela o trata por João se ele é Ruben?

Nuno Vieira disse...

fica para os próximos capitulos se existirem.

;)