segunda-feira, agosto 08, 2005

Companheiro de fumo

Sempre que venho à varanda fumar um cigarro, lá está ele no prédio do outro lado. Não lhe consigo ver as feições, só a beata incandescente entre as janelas da marquise, mas sei que está a olhar para mim como eu para ele.

4 comentários:

francisco carvalho disse...

Não fumo, mas estou a ver, a sentir que já vivi esse filme.

Rogue disse...

E lá ficam os 4, naquele momento tão nosso. Nós e o cigarro, na noite....

JOSE MANUEL CARVALHO disse...

È a força do mundo urbano, sempre a empurrar para os vícios sociais.
Sintetizastes bem o momento.
Estou de volta companheiro, eu e a festa do avante.

Nuno Vieira disse...

bem-vindo que já tinha saudades...