quinta-feira, setembro 22, 2005

Beatriz

A verdade é que passei os meses mais felizes como estudante, na companhia de uma franzina e tímida rapariga vinda do sul do país; chamava-se Beatriz, tinha um cabelo comprido que escorria pelas faces até aos ombros e um olhar contemplativo que quando se abria em sorriso, era um relâmpago, uma obra de arte; curvas anárquicas das borboletas quando saem do casulo. Andamos colados alguns meses, sem nada nem ninguém entrar no nosso mundo de felicidade. Fazíamos tudo juntos. Foram meses de alegria e amor desenfreado. Depois não sei ao certo o que aconteceu.

2 comentários:

Pipoca disse...

Mas ficou uma bela recordação..

guevara disse...

pfff... sumiu numa seara de trigo!